sábado, 25 de dezembro de 2010

Natal 2010

Estava pensando esses dias: "Caramba, eu tenho um blog e uso ele raramente. Não gosto de postar minhas coisas pessoais no orkut. Vou voltar a usar o blog e postar algumas coisas que to fazendo" E to aqui agora escrevendo leserias. Se você acha que vai ver coisa boa a partir dessa data, só se eu estiver muito inspirado pra tal façanha, no mais, só coisas bestas e lesas da minha vida

Como o meu natal desse ano.


Fui passar na casa de uma tia, tia Cau, em Recife. Na verdade eu não estava muuuuuuito animado pra ir, mas no meio da semana me bateu a vontade de estar em família. O bom é que esse ano meu pai estava muito animado para ir e principalmente meu irmão.

Então me instiguei um pouco. Pensava que iria toda a família, mas logo quando cheguei na casa do meu pai soube que minha irmã tinha viajado com uma tia nossa, tia Rita, para Maceió. Dai pensei: "Caramba, então não vai todo mundo". Na verdade eu gosto dos tumultos da família.


Mas foi legal. Fui pra Timbaúba de 6h da manhã. Cheguei lá na casa de painho, não tinha visto ainda a lanchonete dele funcionando. Fiquei até uns 20 minutos cuidando de lá pra ele ir no centro. Vendendo coxinha e caldo de cana (kkkkkkkkkkk) Se nada der certo esse ano de 2011 eu já sei o que fazer: "Vou ajudar painho na lanchonete" DEUS NÃO ME OUÇA. Depois, fui pra casa de tia bel almoçar. Saímos de Timbaúba umas 14:30h direto pra Recife.


Chegamos e me veio logo na cabeça: "Seja luz mais uma vez nesse natal. Mostre que você é cristão com suas atitudes." Quando saímos de Timbaúba já se sabia que tinhamos que ir a missa de natal com toda a família. Eu, sinceramente não estava com vontade. Não me sinto mais tão bem na igreja católica.

Meu querido primo Jessé se revoltou e falou que não iria pra missa com o pessoal, fazendo um reboliço dentro da casa de tia Cau. Isso encorajou eu e os outros que sentiam o mesmo desejo e assim foi formado o "bloco dos que não vão a missa" Eu, Jessé, Juan e Thiago. Ficamos conversando merda por um bom tempo. Fazia tempo que não conversamos e principalmente com o meu irmão que nunca participava dessas reuniões.

A galera foi chegando, os tios que não via há algum tempo foi se relacionando com o ambiente. Aquela coisa de família, né? Enfim, o que eu mais gostei dessa noite foi que eu realmente pude conversar com meu irmão sobre Deus e dar alguns conselhos pra ele em relação a porte e conduta cristã. Foi bom saber como ele estava espiritualmente, foi muito bom compartilhar das nossas vidas cristã um com outro. Apesar de sermos muito diferentes um do outro, mas o Deus ao qual servimos é o mesmo.


Depois dos papos, das conversas e votos de saudades e curiosidades alheias dos familiares pra saber o que eu estava fazendo da vida, a festa começou a ficar bemmmm morgadinha. Lógico, festa em família já era de se esperar. Dai fomos começar o nosso famoso amigo secreto que todo ano é a mesma coisa. Eu nunca consigo pegar nada que eu possa usar ou usufruir. Dessa vez, pela primeira vez, eu peguei o numero 1. Tava todo animado.

Nossa brincadeira de amigo secreto é um pouco diferente das brincadeiras normais, mas é muito engraçada. Antigamente a regra era: "o numero 1, no final, depois que todos os outros números escolhem seus presentes na árvore ou trocam com alguém que já tenha pego, ele pode escolher o presente de quem quisesse para trocar". Só que esse ano, logo nesse ano que peguei o numero 1, (eu já estava todo animado) mudaram as regras. E eu não pude trocar de presente com ninguém. No final de tudo, peguei mais um presente que ninguém queria e que eu também não. Ganhei um anjinho de gesso. Assim que acabou a brincadeira dei pra Vilma, mulher do meu pai e fui dormir.


Pela manhã, aproveitei a piscina da casa da tia e o churrasquinho que estavam fazendo e me esbaldei. Sem contar que a noite passada eu comi que nem um esfomeado. Tive até vergonha de mim, mas tava nem ai. To decidido a engordar esse ano de 2011 e por que não começar no natal de 2010? Como dizem os paraibanos: "Come cum força"


A manhã foi bem tranquila e bem engraçada também. Como minha família por parte de pai não é evangélica (ainda), só uma tia que é, e mesmo assim essa foi a que viajou com minha irmã, o pessoal começou a beber desde cedo e a cachorrada começou logo de manhã dentro da piscina. Até meu pai tava dando uma de "Cielo" com a gente. Fazia tempo que via meu pai se divertir como gente e junto da família. Só via meu pai com os amigos bebuns dele.


Perdemos até a posse e descarrilamos, pelo menos eu o fiz, expelindo os nossos estresses do dia a dia. Estava muito atribulado e preocupado com alguns acontecimentos que me aperriaram muito esses dias. Precisava sair do meio ambiente uns dias pra não pensar muito nos problemas. Deixar verdadeiramente Deus resolver e fazer o melhor. Pra mim, só saindo da situação pra deixar Deus agir. Sempre quero me meter e colocar minhas mãos, mesmo sabendo que não posso.



Como tava em família mesmo tava nem ai. Esqueci, pelo menos por alguns instantes, dos meus problemas. Tirando onda com a galera. Imitando meu irmãozinho ai. Até nado sincronizado a gente fez. Tá ai o vídeo pra vocês darem uma conferida!!


video



Dei até umas treinadas nessa ENOOOOORME piscina ai (kkkkkkkk). Fazia uns 15 dias que não estava indo mais pra natação, então aproveitei o ensejo e dei umas pernadas pra forçar mais meus pulmões. Pra quem não sabe, to fazendo natação por que não estava conseguindo aguentar 15 minutos de louvor. Tava cansando muito. Depois que comecei a nadar melhorou muito meu desempenho cantando.



Sem contar que sempre quando estou com Jessé, meu primo, é alegria na certa a toda hora. A gente sempre sabe a hora de fazer merda pra levantar o outro. Esse ai é uma irmão do coração.


Enfim, depois de tudo isso a gente fez nossas malinhas e voltamos pra Timbaúba e cá estou eu escrevendo no blog e postando essas coisas aqui. Só Deus sabe quando vou voltar a postar já que estou sem internet e que não vou poder ir pra João Pessoa amanhã de tarde já que não tem mais vaga nos carros de lotação. Então o que tenho que fazer é aproveitar o domingão aqui em Timbaúba mesmo com Jessé.




quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Voltei?

Esses dias estava passeando pelos blogs de uns amigos e conhecidos e me bateu "aquela" saudade de escrever. Passei um bom tempo sem escrever nada a não ser que fosse algo relacionado a minha monografia ou coisa da universidade. Estava completamente dedicado. Sem falar também no Novo Altar, né? Sempre buscando uma coisa nova e produzindo canções, ensaios, cultos temáticos etc.

Enfim, vou tentar escrever alguma coisa aqui nem que seja uma vez por semana. Não posso deixar esse prazer sozinho, desolado, por aqui.

A primeira coisa que me vem a cabeça é pensar um pouco sobre a minha realidade em meio ao chamado que Deus me colocou, o Novo Altar. Sonhar os sonhos de Deus na nossa própria realidade não é fácil. Como a Bíblia fala: "ainda existe uma cruz a ser carregada..." Fico imaginando, será que estou disposto mesmo a me entregar por inteiro? Será que isso tudo não é só coisa da minha cabeça? Daí vem a grande resposta. Os fatos mostram que não é coisa da minha cabeça, eu posso seguir em frente que Ele está comigo. Não foi assim com Moisés, Josué e tantos outros? Assim também Ele é comigo.

Como faz um tempinho que não comento coisas minhas aqui irei fazer um breve histórico do que se passou nesses últimos anos. Sempre gostei de música, de cantar, e principalmente de fazer isso na igreja. Aos 12 anos comecei a ter aulas de teclado e piano que não duraram um mês haja vista que meu professor queria me ensinar teoria, solfejos etc e eu não gostei da idéia e desisti, atraindo para si a responsabilidade de aprender a "tocar" sozinho o instrumento. Porém, na minha adolescência fui conhecendo outros caminhos longe da igreja com amigos e familiares que não conheciam o amor de Deus. Me afastei dEle diversas vezes por motivos torpes e decidi fazer a minha vida longe de Deus a qualquer custo. Fiz Edificações no CEFET-PB, passei 4 meses no curso e desisti. Decidi fazer Rádio e Tv na federal da Paraíba, passei dois anos no curso e também desisti passando assim para Relações Públicas, curso no qual sou formado. Fiz vários amigos, aprendi muito da vida, mas sempre senti que faltava algo dentro de mim. Eu não me sentia completo. Era como se eu não estivesse fazendo o que eu devia fazer e isso me matava por dentro. Lutava contra a minha própria natureza, a de fazer a vontade de Deus em minha vida.

Não pensem que fazer a vontade dEle foi fácil também não. Até o fim de 2008 eu estava em trevas, totalmente trevas. Vida desgarrada, sem rumo, as pessoas que estavam ao meu lado só me criticavam, enfim não era nada de se agradar. Porém em uma noite de reveillon, na casa dos meus padrinhos, uma palavra de uma tia mudou toda a história. Ela não falo sobre Deus ou coisa do tipo, mas de como estava a minha realidade. Naquele momento decidi mudar. Enquanto todo começo de ano eu lutava contra todos para sair dos braços do pai, esse ano (2009) seria diferente. Lutaria contra tudo que havia em mim para estar nos braços do criador.

Voltei para Ele, mas não voltei para meu lar, minha casa de congregação. Fui a alguns cultos em uma igreja que havia perto de minha casa (Betel da Torre) Lá o Senhor falou comigo profundamente, em um retiro de carnaval, Deus mudou "minha" história. Agora eu não fazia mas o que queria e sim o que eu deveria fazer para cumprir o meu chamado. Passei alguns meses lá até o próprio Deus me mandar de volta, como Ele mesmo falou, "à terra que te prometi". Voltei para minha igrejinha em cruz das armas em julho de 2009 (Adventista da Promessa) e desde então tenho cumprido o chamado de Deus em minha vida. Quando todos pensavam que o Novo Altar havia morrido o Senhor me levantou para ressuscitar o ministério dos mortos, restaurando assim o Seu chamado em minha vida através da música. Voltei, depois de 12 anos, a estuda-la, pois sei que é isso que Ele quer que eu faça. Não me importo com o que os outros estão achando, só sei que nunca me senti tão realizado como estou.

Não vejo pelo lado que algumas pessoas vêem, que o Novo Altar só está de pé por que estou lá. Não é assim. Esse ministério de louvor não é meu, é dEle, porém Ele me escolheu para liderar esse povo, mas se por ventura eu renegar esse chamado virão outros que levarão a diante o sonhos de Deus para o Novo Altar.

Não é fácil, não está sendo um mar de rosas, ainda tenho meus demônios que me atormentam a mente, mas sei que com Ele estou seguro e Ele vive em mim e se levantará ao meu favor sobre a tribulação. Se não fosse Deus o Novo Altar ainda estaria morto, os nossos sonhos iriam prevalecer acima dos sonhos dEle. Deus têm preparado algo muito especial para nós do Novo Altar, eu sinto isso ... eu creio nisso. A nossa mudança é visivelmente extraordinária. Quem nos viu a um ano atrás e nos vê agora acha que é outro grupo de pessoas. Sabe o que foi isso? Cristo em nós a esperança da glória.

Não é fácil sonhar os sonhos de Deus na nossa realidade, mas quando Ele se mostra fiel à suas promessas para nossas vidas nos dá um conforto sobrenatural trazendo refrigério e fazendo-nos pensar: Caramba!!! Preciso continuar.